Menu

SiteChapa “Orgulho de ser ICB” foi eleita em abril por consulta eletrônica à comunidade

Os professores Ricardo Gonçalves e Élida Rabelo, eleitos para diretor e vice-diretora do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) para o período de 2022 a 2026, serão empossados nos respectivos cargos pela reitora da Universidade Federal de Minas Gerais, Sandra Regina Goulart, no dia 27 de maio, em solenidade presencial no Auditório 3 “Cerrado”, às 10h.

A chapa “Orgulho de ser ICB” foi eleita em abril deste ano por meio de consulta eletrônica à comunidade, tendo recebido 97,02% dos votos válidos ponderados. Cuidado com a “pessoa”, visibilidade e infraestrutura são algumas das prioridades da proposta de trabalho apresentada aos servidores.

A solenidade de posse, com a presença do então diretor, professor Carlos Rosa, será transmitida pelo Youtube no Canal ICB UFMG. Toda comunidade está convidada a participar.

SAIBA MAIS

Clique aqui e acesse o Programa de Trabalho da chapa
Edital de eleição para Diretoria do ICB

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Chapa "Orgulho de ser ICB" recebe 97,02% dos votos válidos ponderados
Lista Tríplice Eleição.Diretores.ICB.2022será submetida à avaliação da Congregação do ICB e à Reitoria da UFMG

Candidatos à Diretoria debatem propostas de trabalho com comunidade
Cuidado com a “pessoa”, visibilidade e infraestrutura são prioridades

Debate de candidatos à Diretoria do ICB será na próxima sexta-feira
Perguntas da comunidade à chapa poderão ser encaminhadas antecipadamente

Consulta eleitoral para Diretoria do ICB tem inscrição de chapa única
Candidatos têm até 21 de março para divulgar propostas

Inscrição de chapas para escolha da nova Diretoria começa segunda
Começa em 14 de fevereiro o período de inscrição das chapas de professores candidatos à eleição da nova Diretoria do ICB

Foto MuseuFechado em função da pandemia, espaço abriga peças do corpo humano importantes para o trabalho didático

O Museu de Ciências Morfológicas do Instituto de Ciências Biológias (ICB) da UFMG, abrirá as portas para o público, excepcionalmente, durante a vigésima Semana Nacional de Museus. Fechado em função da pandemia, o espaço, que desperta curiosidade pelo enfoque no organismo humano, funcionará nos dias 19, 20 e 21 de maio, em horários diferentes.

Localizado no bloco N2, o MCM mostra, através de exposições didático-científicas permanentes, peças do corpo humano, esculturas em gesso e resina, fotomicrografias de células e tecidos aos microscópios de luz e eletrônicos, embriões e fetos em diferentes estágios de desenvolvimento, além de equipamentos de áudio e vídeo que complementam o trabalho didático e de divulgação científica.

Inaugurado em 1997, o Museu começou a ser idealizado cerca de dez anos antes pela professora Maria das Graças Ribeiro, do Departamento de Morfologia. Atualmente, é dirigido pela bióloga Gleydes Gambogi Parreira, docente do mesmo departamento. Por meio de programas de divulgação científica e de projetos sociais visando à educação para a saúde e a solução de problemas da vida diária da comunidade, o MCM busca conectar universidade e sociedade, atuando junto ao ensino fundamental e médio para incentivar uma nova consciência frente ao ensino das Ciências.

Durante a Semana Nacional de Museus, com o tema “O Poder dos Museus”, o MCM ficará aberto nos seguintes horários: quinta-feira, das 13h30 às 17h; sexta-feira, das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h; e no sábado, das 8h às 11h30.

Para os servidores e profissionais prestadores de serviço que desejarem conhecer o Museu de Ciências Morfológicas, foi destinado um horário especial, na sexta-feira, às 10h.

CCTpor Marcos Becho UFMGInscrições de resumos e pôsteres foram prorrogadas até o dia 16, próxima segunda-feira

No dia 26 de maio o Centro de Coleções Taxonômicas (CCT) do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) comemora sete anos com um workshop voltado principalmente para pesquisadores e estudantes da área das ciências da vida, da UFMG e de outras universidades.

A programação, prevista para acontecer das 8h às 17h, inclui palestras sobre as coleções biológicas, mesa de discussão sobre a interação com os programas de pós-graduação da área de biodiversidade e exposição de posters. As inscrições estão abertas pela internet (AQUI) até o dia 24 de maio. A inscrição de resumos e pôsteres pode ser feita até segunda-feira, 16.

Criado em 2015, o CCT funciona como uma espécie de biblioteca de espécimes biológicos e auxilia pesquisadores da área a verificar e a validar resultados de seus estudos. Órgão complementar do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG, reúne 27 coleções de espécimes e outros tipos de materiais biológicos de vegetais, animais, fungos e seres unicelulares de quase todas as categorias que ocorrem em Minas Gerais, além de diversas regiões do Brasil, da América Latina e de outras partes do mundo, como da Antártida.

De acordo com o biólogo João Renato Stehmann, diretor do Centro de Coleções Taxonômicas, o principal objetivo do Centro de Coleções Taxonômicas é apoiar pesquisa, ensino, extensão e inovação científica, facilitando a formação de recursos humanos. Parte da infraestrutura é mantida com a prestação de serviços à iniciativa privada, como estudos ambientais.

cct fot vertebrados01MAIS DO QUE UMA “BIBLIOTECA”

Ele explica que cada exemplar é como se fosse um livro contendo diversas informações sobre cada organismo. Catalogados segundo protocolos internacionais de classificação, o acervo permite, por exemplo, comparar e avaliar o impacto que possa ter ocorrido sobre o conjunto de organismos vivos de uma dada localidade ao longo do tempo, como no caso do Rio Doce.

Após os acidentes ambientais de Mariana e Brumadinho, esses espécimes podem contribuir para a devida restauração da área. Também podem ser usados para a modelagem de cenários passados e futuros, para prevenir impactos das mudanças climáticas em nossa biota, uma das mais ricas e ameaçadas do planeta.

“Além do potencial científico, os exemplares abrigam um elemento histórico, expressão de sua dimensão e importância para investigações científicas em campos como morfologia, genética e evolução”, destaca o diretor do Centro, chamando a atenção ainda para o fato de que a maior parte dos exemplares foram coletados no século XX, mas há também há alguns que datam do século XIX, recebidos como doação.

O CCT ICB também possui um Laboratório de Ilustração Científica e é responsável pela publicação da revista científica Lundiana International Journal of Biodiversity e do boletim de divulgação científica CCT Ciência, onde divulga os trabalhos desenvolvidos por seus pesquisadores.

WorkshopCCT7anosWORKSHOP

Todos os participantes devidamente inscritos são convidados a enviar resumos para o evento, até o dia 16 de maio de 2022. Os resumos serão avaliados pela organização e, se aceitos, deverão ser apresentados em formato de pôster. A submissão do resumo estará condicionada à confirmação da inscrição. Será aceito apenas um resumo por inscrição.

MAIS INFORMAÇÕES


Programação: https://ufmgcct.wixsite.com/workshop7anos/programa%C3%A7%C3%A3o
Inscrições: https://ufmgcct.wixsite.com/workshop7anos/inscri%C3%A7%C3%A3o
Submissão de resumos: https://ufmgcct.wixsite.com/workshop7anos/resumos
Acesso ao acervo: https://www.gbif.org

 

 

Faculdade de Direito da UdelarProgramas de mobilidade acadêmica internacional da UFMG vão selecionar no segundo semestre

O Instituto de Ciências Biológicas, por meio de seu Núcleo de Apoio às Relações Internacionais (Nari), recebe, no dia 17 de maio, próxima terça-feira, uma equipe da Diretoria de Relações Internacionais (DRI) da UFMG para divulgação dos programas de mobilidade acadêmica internacional e intercâmbio aos estudantes.

As vagas serão oferecidas por meio de um edital a ser lançado no início do segundo semestre letivo de 2022. Elas estão vinculadas a acordos bilaterais com universidades dos cinco continentes e aos acordos com as 10 redes das quais a UFMG participa. A seleção para alocação de vagas será realizada com base em critérios como desempenho no curso, proficiência em idioma estrangeiro e participação na vida acadêmica, além do interesse manifesto na inscrição.

O Nari é o setor responsável por apoiar as ações da Diretoria do ICB voltadas à cooperação e ao intercâmbio internacional. O Núcleo também é uma referência para a DRI nos assuntos relacionados à internacionalização acadêmica. Coordenado pelos professores Bruno Rezende de Souza, do Departamento de Fisiologia e Biofísica, e Liza Figueiredo Felicori Vilela, da Bioquímica e Imunologia, o Nari atua no fomento de projetos de cooperação e intercâmbio internacional, divulgação e promoção de eventos acadêmicos e culturais, além de acolhida e apoio à comunidade de origem estrangeira do ICB.

A visita da DRI para divulgação dos programas de mobilidade será no Auditório 3 do ICB, às 12h30. Mais informações sobre mobilidade estão no site da DRI.

Com informações e foto da Assessoria de Comunicação da UFMG.

twins g1ec070eb7 1280Imagem meramente ilustrativa, por PixabayQuais são os conceitos básicos para o ensino da genética?

Image 2022 05 10 Rafaella.GeneTime

A partir desta pergunta as pesquisadoras Rafaella Cardoso Ribeiro (foto redonda) e Lorrayne Evangelista de Sousa, do Programa de Pós-graduação em Genética do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG, apresentam, neste sábado, 14 de maio, um “guia de atividades para o Ensino Médio”. O minicurso integra as atividades pré-evento do GeneTime Conference 2022.

Image 2022 05 10 Lorrayne GeneTimeDirigidas exclusivamente a professores, serão oferecidas apenas 20 vagas presenciais. A atividade abre a programação de uma série de cursos que antecipam a segunda edição do Gene Time Conference 2022, entre 24 e 26 de agosto, nos formatos presencial e semipresencial.

Segundo Rafaella Ribeiro, bióloga com pós-doutorado em genética, serão apresentadas “propostas de atividades interativas e de baixo custo, para complementar abordagens didáticas de dois conceitos básicos da genética: divisão celular e interação alélica.

Pode parecer pouca coisa, mas esses dois assuntos são essenciais à compreensão de assuntos complexos da genética, como os relacionados à biotecnologia (por exemplo: manipulação genética, clonagem e outros).

A divisão celular (mitose e meiose) é responsável pela multiplicação de células, cicatrização e formação de gametas, por exemplo. A interação alélica está relacionada à ideia de gene e de hereditariedade: processo pelo qual dois ou mais genes interagem entre si e determinam características observáveis, que por sua vez podem sofrer influência de fatores ambientais.

Segundo a professora Adlane Villas Boas, que orienta as instrutoras do minicurso, é preciso trazer metodologias inovadoras e novas perspectivas da genética moderna para o ensino da genética clássica, aquela fundada pelo austríaco Gregor Mendel no início do século 19, a partir de seus estudos sobre a ervilha e que expandiram o conhecimento sobre hereditariedade.

SERVIÇO

Minicurso pré-evento GeneTime 2022
Ministrantes: Lorrayne Evangelista de Sousa (mestranda em Genética) e Rafaella Cardoso Ribeiro (Pós-doutora em Genética)
Tópicos abordados: Mendelismo; cruzamento e probabilidades; hereditariedade; mitose e meiose; genética do sistema ABO; transcrição, tradução e interações alélicas.
Preço: R$ 40

MAIS INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES

Programação dos Mini-cursos preparatórios

NOTÍCIA RELACIONADA

05 Maio 2022  ICB UFMG abre inscrições para cursos preparatórios para Gene Time Conference 2022

Pesquisar

Instagram Facebook Twitter YouTube Flickr
Topo