Menu

assinatura

 

 

 

“O fígado como um filtro imunológico” é tema da próxima palestra promovida pelo Liver Center, no dia 27 de novembro, às 9:00h, no Núcleo de Ciências da Saúde, que fica no 5º andar do Hospital Felício Rocho. Quem vai falar sobre o assunto é o professor do Departamento de Morfologia, Gustavo Menezes. A palestra é aberta a todos os profissionais e graduandos da área de saúde interessados no tema e a entrada é franca.

No evento, serão apresentados resultados recentes de pesquisas realizadas pelo Center for Gastrointestinal Biology, laboratório coordenado por Gustavo Menezes, que trazem novas contribuições para o entendimento do fígado como órgão importante para o funcionamento do sistema imunológico.

Dentre essas contribuições, está a caracterização de todas as células do fígado que cumprem papel de filtro imunológico, capturando e matando microrganismos como vírus e bactérias e impedindo que eles continuem se espalhando pelo corpo, de modo a evitar infecções sistêmicas, por exemplo. “Usando um método de alta dimensão de caracterização de células, nós descrevemos uma por uma”, explica Gustavo Menezes. Essa descrição define qual é o tipo de cada célula imune analisada.

Na palestra, também será mostrada a relação entre doenças hepáticas e a morte de células imunológicas do fígado e suas consequências. “Quando você tem problema no fígado, você pode ter problemas imunológicos de vários graus. Você pode parar de coagular o seu sangue, você pode ficar mais suscetível a infecção, você pode parar de produzir corretamente sangue, inclusive”, afirma Gustavo Menezes.

O professor explica que em casos de doenças hepáticas, essas células imunológicas do fígado podem morrer, e, ao serem repostas, as células novas têm que ser educadas pelo sistema hepático para se tornarem células eficazes no exercício de funções imunológicas dentro do fígado. A descrição de todo o processo de educação dessas novas células é mais uma contribuição das pesquisas do laboratório que será apresentada na palestra.

“E nesse processo todo a gente conseguiu descrever uma nova subclasse de célula imunológica hepática, que até então era desconhecida”, Gustavo Menezes destaca mais um resultado das atividades de seu laboratório que será apresentado na palestra.

Papel imune do fígado

Muito se fala sobre o fígado como órgão metabólico. Mas, apesar de seu papel imune ser grande, é pouco conhecido. “O alerta da palestra fica para a importância de se preocupar com o fígado não porque, na ausência da função perfeita dele, você vai ter impacto na sua qualidade de alimentação, mas sim, na sua capacidade de reagir corretamente em termos imunológicos”, explica Gustavo Menezes. Ele completa que a classe médica também deve encarar o fígado como um dos principais órgãos imunológicos do indivíduo e levar isso em conta ao considerar a defasagem imune que um paciente hepatopata pode ter.

Facebook Twitter YouTube Flickr SoundCloud

Newsletter

Pesquisar

Topo