Menu
Professor do ICB propõe intervir em mecanismos do cérebro como possibilidade de avanço no tratamento da dependência química

Um estudo que apresenta uma nova possibilidade de tratamento da dependência de drogas de abuso, como a cocaína, será apresentado durante o evento satélite mineiro do 9º Congresso Mundial de Pesquisas do Cérebro (IBRO 2015), que começa na próxima segunda-feira, 13, e vai até 15 de julho. Pela primeira vez na América Latina, em Minas Gerais o congresso tem foco na Dopamina e será realizado no auditório da Reitoria da UFMG, no campus Pampulha, em Belo Horizonte. As inscrições ainda estão abertas.

Segundo o líder da pesquisa, professor Fabrício Araújo Moreira, do departamento de Farmacologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), a proposta, ainda em estágio experimental, se baseia em identificar mecanismos que facilitem ou reduzam a ação dos endocanabinóides, um grupo de neurotransmissores conhecidos como “maconha do cérebro”.

A partir desse mapeamento espera-se que seja possível desenvolver medicamentos sintéticos que possam ativar ou suprimir a produção de substâncias químicas pelos endocanabinóides. Esses neurotransmissores estão associados à perda de memórias, relaxamento mental e muscular, controle da dor e da ansiedade.

“A dificuldade em interromper o uso da cocaína ocorre, em parte, porque ela afeta a maneira como o cérebro processa e produz endocanabinóides. Que já estão ativos e, em níveis adequados são necessários ao perfeito funcionamento do organismo”, afirma o professor.
 
CANABIDIOL NÃO “DÁ BARATO”
Uma substância que se mostrou capaz de reduzir os efeitos tóxicos da cocaína em modelos experimentais, segundo Fabrício Moreira, é o Canabidiol (CBD).

O CBD é uma das diversas substâncias presentes na maconha e, dentre outros possíveis usos medicinais, possui um princípio anticonvulsivante, que alivia sintomas de síndromes como a epilepsia. "Um de nossos objetivos é entender porquê o canabidiol funciona nesses casos em que os medicamentos convencionais não funcionam", afirma.
 
Entretanto, a desinformação e o preconceito, junto com a burocracia brasileira, seriam o grande impedimento para o avanço dos estudos dessa substância como alternativa terapêutica. “Por isso ainda há poucos estudos clínicos, apenas pesquisas experimentais, com modelos animais”, reclama, classificando de "equivoco" associar o Canabidiol aos efeitos negativos da maconha. "Se essa substância fosse encontrada em qualquer outra planta não haveria tanta rejeição", arrisca, lembrando que somente em 2015 a substância foi liberada pela Anvisa para estudo.
 
Sobre a sensação de “barato”, proporcionada pela maconha, ele esclarece: “O THC (tetrahidrocanabinol) é que é o principal responsável pela ativação excessiva do sistema endocanabinóide e pela dependência”, afirma. Já a ação do Canabidiol é isolada.
 
CANABIDIOL, SEGUNDO A ANVISA

Canabidiol é reclassificado como substância controlada

Importação de Canabidiol fica mais ágil para pacientes

 

MAIS SOBRE O IBRO 2015
O evento satélite do Congresso Mundial de Pesquisas do Cérebro (IBRO 2015) em Belo Horizonte será no campus Pampulha da  UFMG, entre 13 e 15 de julho. Presidido pela professora Ângela Maria Ribeiro, do Departamento de Bioquímica e Imunologia do ICB, o evento reúne pesquisadores de diferentes programas de pós-graduação: Neurociências, Bioquímica e Imunologia, e Fisiologia e Farmacologia. Esta é a primeira vez que o IBRO será realizado na América Latina. Além do Rio de Janeiro, onde será a sede do evento mundial,acontecem eventos satélite também em outras 2 cidades brasileiras. 

INSCRIÇÕES E OUTRAS INFORMAÇÕES DO SATÉLITE DO IBRO NA UFMG (DOPAMINA)

 

SERVIÇO
15 de Julho: Quarta-feira
8h30 - Auditório da Reitoria.Mesa redonda 3: Dopamina e abuso de drogas
Coordenador: Fabrício A. Moreira
Palestrantes:
Frederico D. Garcia (UFMG) A via dopaminérgica do estriado e alcoolismo
Fabrício A. Moreira (UFMG): Um cérebro de dopamina: o papel dos endocanabinóides

CLIQUE AQUI para saber mais sobre o IBRO Rio de Janeiro

CONTATOS PARA A IMPRENSA
Prof. Fabrício de Araújo Moreira - Pesquisador. Departamento de Farmacologia do ICB-UFMG - (31) 3409-2719 -

Profa. Ângela Maria Ribeiro - Presidente do Congresso. Fundadora do Programa de Pós-graduação de Neurociências. Departamento de Bioquímica e Imunologia do ICB-UFMG - (31) 3409-2646 -
 
 

Redação: Sarah Dutra (Estudante de Comunicação Social) e Marcus Vinicius dos Santos (Jornalista)
Ilustração: Prof. Fabrício Moreira/ICB/UFMG
Foto: "Cannabis sativa leaf Dorsal aspect 2012 01 23 0830" de JonRichfield - Licença CC BY-SA 3.0

 

 
MAIS INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA
Assessoria de Comunicação Social e Divulgação Científica do ICB/UFMG
| (31) 3409 3011  |  www.icb.ufmg.br
Av. Presidente Antônio Carlos, 6627. Pampulha. Sala 173. Bloco J1.
CEP 31.270-901. Belo Horizonte. MG. Brasil.
 

Pesquisar

Facebook Twitter YouTube Flickr SoundCloud

Topo