Menu

aula presencialTurma da especialização em Diagnóstico Microbiológico em primeira atividade prática após o início da pandemia Especialização em Diagnóstico Microbiológico realiza atividades práticas em três disciplinas, com autorização da Congregação

 

O Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG realizou, no penúltimo final de semana de novembro, a primeira aula presencial após o início da pandemia de covid-19. Com todos os estudantes completamente vacinados e sob um rigoroso plano de biossegurança aprovado pela Congregação - órgão de deliberação superior do ICB -, três disciplinas do curso de Especialização em Diagnóstico Microbiológico tiveram autorização para realizar, na sexta-feira à noite e no sábado durante o dia, um conjunto de atividades práticas não adaptáveis ao modo remoto.

De acordo com a coordenadora da especialização, professora Susana Johann, do Departamento de Microbiologia, “deu tudo muito certo! Com toda a segurança e sem prejuízos para as estratégias pedagógicas ou para a aprendizagem!”, avalia. Segundo ela, pelo fato de ser um programa de especialização dirigido a formar profissionais prontos para o mercado de trabalho, as aulas práticas presenciais são muito importantes. “É o que dará segurança a eles depois em um laboratório de análises clínicas, por exemplo”, explica.

O êxito da iniciativa ela credita ao fato de ser uma turma pequena, de apenas 13 alunos, com conhecimentos prévios das medidas preventivas, além de aspectos como o dia e horário do curso serem de menor fluxo de pessoas no ICB. Outro fator positivo que ela identifica é o fato de o plano de volta às aulas presenciais ter sido muito discutido em seu departamento e no Colegiado de Pós-graduação, elaborado com antecedência e apoiado pela Diretoria. “Estávamos delineando esse retorno desde dezembro do ano passado e fomos ajustando cada vez mais as regras”, afirma.

Para Jônatas Abrahão, da área de Virologia Clínica, e quem ministrou uma das aulas, do ponto de vista sanitário ficou evidente o cuidado da coordenação do curso em garantir a proteção dos estudantes e dos docentes. “Eu estava muito confortável e seguro. As salas estavam muito ventiladas, com distanciamento planejado de forma racional, além de máscaras e álcool 70% disponíveis para todos”, descreve. “Todos os estudantes e funcionários respeitaram muito as normas e não houve nenhuma resistência ou desconforto por parte deles”, reitera Susana.

Desafios

Aula presencial 02O uso do microscópio foi um dos desafios enfrentados, conforme o relato da coordenadora do curso. “O laboratório de aula prática foi montado de forma que cada aluno usasse apenas um equipamento, mas seria necessário o professor colocar os olhos na ocular para ajudar o aluno. E depois o aluno teria de fazer o mesmo”, esclarece.

E a solução foi até relativamente simples: “a lente foi desinfectada antes e depois do uso pelo professor”, explicou Susana. Também foi utilizado um microscópio com projetor em que o professor consegue mostrar a lâmina do aparelho que está usando para que os estudantes observem o que precisam encontrar na própria lâmina.

Para a realização de experimentos em grupo com a segurança necessária foram usados kits individuais, em alguns casos, e, em outros, foram designados experimentos diferentes para cada integrante do grupo. “Este foi um piloto do que vai acontecer em 2022, antecipando o que podemos vivenciar”, considerou a microbiologista.

Sobre o fato de os professores do Departamento de Microbiologia estarem envolvidos numa série de grupos de controle e enfrentamento da covid-19, da UFMG, do Município e do Estado de Minas Gerais, Susana avalia que isso tornou sua experiência mais segura: “E isso nos permitiu ser o primeiro curso a retomar as atividades presenciais”.

Aula presencial 01Uso de equipamento individual e kit de materiais para cada aluno

Emoção no retorno

Susana Johann falou, ainda, da mobilização do departamento e da emoção de alunos e professores diante da grande expectativa pelo retorno. Ela disse que, depois de tanto tempo somente com aulas remotas, foi o momento em que realmente puderam se conhecer.

O professor Jônatas compartilha da percepção da coordenadora. “Foi muito, muito, muito emocionante. Ao entrar na sala, olhar nos olhos de cada um, ver como cada um é... Parecia que eu estava começando de novo”, descreveu. As fotos do momento foram compartilhas com os professores que não estavam presentes e todos se disseram emocionados. “Me sinto um privilegiado e espero que o mesmo possa acontecer para todos, em breve”, estima.

As aulas do curso Diagnóstico Microbiológico, na modalidade remota, continuam até fevereiro. Ainda haverá aulas presenciais em dezembro, janeiro e fevereiro de 2022.

 

 

Redação: Dayse Lacerda - ACBio ICB UFMG. Fotos: Arquivo.

 

Pesquisar

Facebook Twitter YouTube Flickr SoundCloud

Topo