Menu

oficina pequiLuisa Couto, aluna do curso de Ciências Biológicas da UFMG é a autora de um dos 3 vídeos selecionados, entre 119 trabalhos inscritos, que apresentou o participante do Projeto Pequi, do ICB, na categoria Meio Ambiente, em concurso realizado na histórica edição comemorativa de 20 anos da Jornada de Extensão da UFMG.

Nesta quarta-feira, 16 de junho, das 15 às 17 horas, pelo Youtube da Pró-reitoria de Extensão da UFMG: https://youtu.be/5FREPH9ynkY

Este ano a Jornada homenageia o centenário do educador e filósofo Paulo Freire, cujos princípios – autonomia, diálogo e esperança – motivaram a mobilização dos discentes em torno de concurso para a escolha das atividades que serão apresentadas.

Além de Luísa Couto, do ICB, os outros dois estudantes, Laura França, do projeto Observatório de Estomaterapia: feridas e estomas, da Escola de Enfermagem; e Ian Figueiredo, do programa 1000 Futuros Cientistas, do Instituto de Ciências Exatas (ICEx), participam de debate mediado pela professora Lúcia Helena Alvarez Leite, da Faculdade de Educação (FaE) da UFMG.

PEQUI: ESCUTA E PROMOÇÃO SOCIAL

O projeto Pequi, coordenado pela professora Maria Auxiliadora Drumond, do Laboratório de Sistemas Socioecológicos do Departamento de Genética, Ecologia e Evolução do ICB UFMG, segue os princípios de Paulo Freire. Segundo a professora Dodora, as questões socioambientais do Quilombo de Pontinha, em Paraopeba, região central de Minas, sempre foram tratadas por meio de metodologias participativas. "Muita escuta e muito diálogo, em prol da conservação do Cerrado, geração sustentável de renda e autonomia dos quilombolas sobre seu território", afirma, lembrando que tudo começou ainda em 2012.

"A oportunidade de criação do vídeo para participação no concurso para a Jornada de Extensão foi acolhida por nós de forma imediata, já que os ensinamentos de Paulo Freire ecoam vivamente em nossa prática de comum-ação", comemora a docente. Ela destaca ainda que a seleção do vídeo "Uso do pequi Caryocar brasiliense como alternativa de renda para a comunidade remanescente do Quilombo de Pontinha – Paraopeba – Minas Gerais" no concurso renova esperanças em meio a tantos desafios impostos pelos impactos do rompimento da barragem de rejeitos em Brumadinho-MG e pela pandemia de covid-19.

"Parafraseando Paulo Freire, a esperança a que nos referimos aqui não é a esperança da pura espera, mas a esperança que se manifesta na prática, na ação-reflexão que transforma o mundo", conclui, convidando a todos para prestigiarem a iniciativa da Proex.

Para assistir o vídeo inscrito no concurso, CLIQUE AQUI

CLIQUE AQUI PARA VER A PROGRAMAÇÃO

A programação inclui a participação da Orquestra de Choro, da Escola de Música da UFMG – sob coordenação do professor Marcos Flávio –, que interpreta a música "Ele e eu", de Pixinguinha. Do projeto Arte e Diferença, da Escola de Belas Artes, o espetáculo Freiriarte. Também haverá apresentação do cordel "Aprendi lendo caju, criado e interpretado especialmente para o evento do professor do Teatro Universitário (TU), Fernando Limoeiro.

 

Pesquisar

Facebook Twitter YouTube Flickr SoundCloud

Topo