Menu

Prof.Egler.Chiari Foto.Marcus.Vinicius.Santos ICB.UFMGProf. Egler Chiari foi uma das grandes referências no campo de estudo do Trypanosoma cruzi, protozoário causador da doença de Chagas Foto.Marcus Vinicius Santos_ICB.UFMGComunicamos o falecimento, neste sábado, dia 4 de julho de 2020, do professor titular e emérito Egler Chiari, aposentado do departamento de Parasitologia, membro titular da Academia Brasileira de Ciências (ABC).

Até o momento, não temos informações sobre velório ou sepultamento.

Doutor em Parasitologia foi um dos fundadores do Programa de Pós-graduação em Parasitologia da UFMG. Seu trabalho era focado em Protozoologia, tendo atuado principalmente sobre temas tais como caracterização bioquímica e molecular do Trypanosoma cruzi, diagnóstico parasitológico e quimioterapia experimental da doença de Chagas, pelo qual era reconhecido internacionalmente.

Aposentou-se ainda em 1992, época em que publicou uma série de trabalhos sobre caracterização de dagnóstico diferencial da doença de Chagas com base na biologia molecular do protozoário causador da doença e, também, em quimioprofilaxia experimental para aplicação em bancos de sangue. 

Ao longo de sua carreira profissional, e até o ano passado, contribuiu para o ensino da Parasitologia nos cursos de Graduação e Pós-Graduação na UFMG orientando várias dissertações de mestrado, teses de doutorado e supervisão de pós-doutorado.

"Ele também era sócio honorário da Sociedade Brasileira de Parasitologia, consultor e pesquisador 1A , do CNPq", lembra seu amigo e colega de departamento Pedro Marcos Linardi, classificando como "uma tristeza enorme" a partida do colega. "À parte a sua figura de grande cientista, professor e orientador, deixarão saudades as nossas longas conversas sobre futebol, Atlético, Itália e a história do Departamento!", se ressente.

Segundo o diretor do ICB, professor Carlos Rosa, o trabalho do professor  ajudou a construir a excelência científica do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG. "Meus sentimentos a toda a família. O legado do Prof Egler ficará para sempre entre nós", reforçou.

"Deixa uma lacuna no ICB", lamentou a vice-diretora, professora Élida Rabelo, que também é do departamento de Parasitologia do ICB. "O professor Egler dedicou sua vida à ciência e ao estudo da doença de Chagas. Formou vários profissionais na área de Chagas e colaborou com diversos grupos do ICB. Colaborações que se transformaram em grandes amizades", afirmou.

(Atualidado em 4/7/2020, às 17h55)

Pesquisar

Facebook Twitter YouTube Flickr SoundCloud

Topo