Menu

Noticias do ICB

teste

Portal do Instituto de Ciências Biológicas - ICB Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  1. Encontro virtual do ICB vai mostrar porque gênero é também questão de educação

    POST.GENERO.CIENCIATransformações na ciência e na educação exigem que questões de gênero sejam reconhecidas como uma realidade da sociedade

     

    A abertura das aulas da graduação do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG será marcada por um debate sobre "Diversidade de Gênero e Ciência". Será no dia 27 de maio, às 14 horas, pelo Youtube (/CanalICBUFMG), com a participação de cinco convidados que apresentarão perspectivas científicas, pedagógicas, genéticas, estudantis e políticas de formas a elevar o nível de informação de homens e mulheres, independentemente de sua identificação de gênero.

    DUDAVEREADORA.webAfinal, nos últimos tempos a vivência da sexualidade deixou de ser um comportamento exclusivamente da esfera privada e, ao lado de uma série de transformações sociais, as questões de gênero deixaram de ser somente um objeto de pesquisa e já se consolidaram como realidade que compõe a diversidade de nossa sociedade e, consequentemente, da ciência e da educação profissional, em especial a formação de professores.

    A primeira apresentação, “Diversidade e Ciência: uma mulher trans na política de Belo Horizonte”, será a da professora Duda Salabert(foto), primeira transexual eleita vereadora na capital mineira, com mais de 37.000 votos, segundo o TSE. Esta foi a maior votação em uma pessoa da história das eleições municipais. Ambientalista, Salabert se apresenta ainda como mãe, vegana e idealizadora da Transvest, ONG que oferece suporte social às travestis e transexuais de Belo Horizonte.

    “Infelizmente a confusão entre sexo genético/biológico e gênero ainda é muito grande”, alerta outro convidado, o biólogo Daniel Santana. Mestre e doutor na área de genética, ele também atua como divulgador da ciência em seu perfil Instagram “Ciência Fora do Armário”, onde trata sobre genética, bioinformática e diversidade na ciência. Em “Meu gênero é culpa da genética?”, Daniel vai mostrar como o ensino dessa disciplina acaba reforçando a visão de gênero baseada na biologia e reafirma visões que contribuem para a rejeição da transexualidade, ou transfobia. Ele também vai falar sobre determinismo genético/biológico, diferença entre sexo biológico e gênero e da visão que a medicina tem dessa diferenciação.

    O filósofo Paulo Henrique de Queiroz Nogueira, mestre, doutor e pós-doutor em Educação vai falar de sua experiência sobre juventude, gênero, diversidade sexual e escolarização. Nogueira, que também é professor da Faculdade de Educação da UFMG, integra o Grupo de Estudos de Educação e Relações de Gênero/GEERGE e desenvolve um trabalho de inserção de pessoas trans na UFMG.

    "Diversidade em biologia na BNCC, o que ficou faltando?" é o título da apresentação de Lia Martins, estudante do curso de Ciências Biológicas da UFMG. Ela promete mostrar que a conversa sobre diversidade precisa ter seu espaço na educação pois está consonante com as pesquisas em biologia e com nosso avanço como Sociedade. Ela vai usar para isso alguns aspectos da BNCC (Base Nacional Curricular Comum) e como eles se relacionam em Ciências da Natureza com as pesquisas dos nosso outros convidados.

    Encerrando as apresentações a servidora técnica-administrativa Maria de Lourdes Melo vai apresentar o setor de Escuta Acadêmica do ICB (EAi); como o setor trabalha e como os estudantes do Instituto podem procurar atendimento no setor. Segundo Maria de Lourdes serão prestadas orientações para que os estudantes compreendam que ao buscar apoio nesse espaço serão recebidos com respeito, diálogo e sigilo; acolhimento incondicional, assim como total justiça aos seus direitos e promoção da sua autonomia pessoal. Outras esferas da UFMG e de outras entidades contribuem nesse trabalho, compondo uma verdadeira rede de apoio.

    Participam da abertura do encontro o coordenador do Centro de Graduação e a vice-diretora do ICB, organizadores do evento. Será emitido Certificado de participação.

     

    SERVIÇO

    Aula Magna da Graduação do ICB UFMG 2021
    "Diversidade de Gênero e Ciência"
    Dia 27 de maio, às 14 horas
    Convidados:
    Vereadora Duda Salabert
    Prof. Paulo Henrique de Queiroz Nogueira - Genética
    Doutor Daniel Santana de Carvalho - Educação
    Estudante Lia Martins - Ciências Biológicas
    TAE Maria de Lourdes de Brito Melo - Escuta Acadêmica EAi
    www.youtube.com/canalicbufmg

     

     

     

    Fotos: Duda Salabert / Lucas Ávila; Demais fotos / Arquivo Pessoal. Arte: Anderson Rodrigues - Comunicação ICB UFMG.

     

  2. UFMG avança à etapa 1 do plano de retorno em 17 de maio

    Banner Destaque ICB 2020 RetornoMedida prevê ocupação dos espaços físicos em até 20% e mantém, em modo remoto, as atividades que não exigem presença 'in loco'

    A partir da próxima segunda-feira, dia 17, a UFMG avançará à etapa 1 do Plano para o retorno presencial de atividades não adaptáveis ao modo remoto, segundo nota à comunidade universitária divulgada hoje, 10, pela reitora Sandra Regina Goulart Almeida e pelo vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira. A decisão é respaldada por orientações do Comitê Permanente da UFMG de Enfrentamento do Novo Coronavírus, com aquiescência da Comissão de Acompanhamento do Conselho Universitário.

    “Embora seja cedo para nos sentirmos aliviados, maio iniciou-se com queda no número de casos confirmados e óbitos no país, o que configura um pequeno alento e nos possibilita reavaliar quais são as balizas para o retorno de atividades presenciais de forma lenta, gradual e segura, com base em evidências científicas e novas recomendações sobre o tema”, afirmam os dirigentes no comunicado.

    A UFMG decidiu retroceder à etapa zero no dia 12 de março em razão do recrudescimento da pandemia. "Desde então, a Universidade vem fazendo um minucioso monitoramento do cenário epidemiológico de Belo Horizonte e Montes Claros e, em razão desse trabalho, decidiu, em duas ocasiões – 26 de março e 26 de abril –, manter-se na etapa zero. Avaliamos que a decisão, apesar de muito difícil, foi acertada e demos nossa contribuição para a melhoria das condições de gestão da pandemia em Minas Gerais", pontuam Sandra e Alessandro.

    De volta à etapa 1, a UFMG manterá, em até 20%, o teto de ocupação dos espaços físicos e, em modo remoto, as atividades que não exigem presença in loco. “A etapa 1 assegura que a universidade caminhe e siga desenvolvendo suas atividades com relevância e compromisso social, conectada com seu entorno e atenta à necessidade de acompanhar a evolução dos indicadores epidemiológicos e de ocupação de leitos nas cidades e no estado”, justificam os dirigentes na nota.

    Sandra e Alessandro alertam que o momento ainda é muito delicado. “A prioridade sempre será a vida das pessoas. Reforçamos a importância da adoção das únicas medidas eficazes de contenção da pandemia até que a imunização alcance um contingente satisfatório da população: uso de máscaras em todos os ambientes, higiene frequente das mãos e a contraindicação absoluta de qualquer forma de aglomeração”, recomendam a reitora e o vice-reitor, que voltaram a lamentar as vidas perdidas durante a pandemia. "A UFMG segue enlutada pelos membros da comunidade universitária que perdeu para a covid-19 e se solidariza com as famílias dos mais de 420 mil brasileiros vitimados pela pandemia".

    Clique aqui para ler a íntegra do comunicado do gabinete da Reitora:


    Plano garante condições para o distanciamento social

    Anunciado em setembro do ano passado, o plano de retorno prevê quatro etapas (0 a 3) de evolução do retorno presencial das atividades não adaptáveis. Cada etapa é definida pelo número máximo de pessoas (servidores, estudantes e trabalhadores terceirizados) que circulam na unidade simultaneamente, representando um teto de ocupação para cada setor ou espaço físico. O objetivo é reduzir significativamente o número de pessoas em circulação em cada unidade e garantir condições para o distanciamento social, implementação progressiva do monitoramento e controle de surtos.

    Na etapa zero (o estágio que vigora até domingo, dia 16), as atividades presenciais ficam suspensas, e apenas as essenciais e de manutenção são mantidas. Na etapa 1, o teto de ocupação é 20%, e o critério de percentagem das equipes deverá ser combinado ao da viabilidade de distanciamento social. Na etapa 2, o limite deverá subir para 40%. Para isso, será necessário que a cidade esteja em alerta verde, no mínimo, desde dois meses antes e que não tenha ocorrido surto da doença na UFMG.

    O aumento gradual das atividades presenciais até o retorno pleno – etapa 3 – estará condicionado ao controle da pandemia ou à existência de vacina eficaz e disponível para ampla cobertura da população.

     

    (Redação: Agência de Notícias UFMG)

     

  3. FALECIMENTO - Sra. Maria Ângela Garcia Eiras, mãe do professor Álvaro Eiras

    Mae.prof.AlvaroEirasComunicamos o falecimento, ocorrido hoje, 8 de maio de 2021, da Sra. Maria Ângela Garcia Eiras, aos 90 anos, por problemas cardíacos.

    Mãe do professor Àlvaro Eiras, do departamento de Parasitologia do ICB UFMG, o velório será em Campinas e o sepultamento em Bauru, no estado de São Paulo.

    A Comunidade do ICB se solidariza com toda a família e expressa seu sentimento de pesar.

  4. ICB presta homenagem especial aos trabalhadores neste 1º de maio

    PostDiaTrabalhador2021Por seu trabalho primordial para o retorno seguro ao trabalho presencial, quando for possível, neste dia 1º de maio de 2021 o Instituto de Ciências Biológicas da UFMG quer homenagear especialmente os funcionários terceirizados (Clique nas fotospara ampliar e visualizar algumas dessas pessoas tão importantes!).

    Obrigado a todos”, homenageiam os diretores Carlos Augusto Rosa e Élida Rabelo, se referindo também aos servidores, docentes e TAE, aos pesquisadores e aos estudantes que se dedicaram no mesmo período a realizar ou a criar as condições para que os trabalhos essenciais não parassem, tanto presencial quanto remotamente.

    “A todos vocês o nosso sincero e profundo reconhecimento!”

    Quem reitera é o diretor, destacando com isso a contribuição do Instituto na busca por caminhos que possam permitir o retorno ao normal que for possível e o acesso da população a uma vida mais saudável.

    Feliz Dia do Trabalhador!

    Pessoal.Portaria.HenriqueCastanheira ACBio Abril.2021Pessoal.Manutenção.Henrique

    Pessoal.ICB.Henrique.Castanheira ACBio Abril.2021

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Fotos: Henrique Castanheira. Arte: Anderson Rodrigues - ACBio Abril.2021

  5. UFMG Talks traz Renato Santana para falar de vacinas e variantes - Dia 29, às 19h

    27.04.21 UFMG Talks 3As vacinas disponíveis são eficientes para as novas variantes do coronavírus? Como as vacinas em desenvolvimento pela UFMG poderão contribuir nesse cenário?

     

    Na próxima quinta-feira, dia 29 de abril, às 19h, o UFMG Talks em casa recebe os professores Renato Santana (ICB) e Ana Paula Fernandes (Farmácia) para conversarem sobre os avanços científicos na detecção, no sequenciamento genético das novas variantes e no desenvolvimento de tecnologia de vacinas e diagnósticos.

    A transmissão ao vivo acontece pelo canal da TV UFMG no YouTube (youtube.com/tvufmg) e no Facebook da página (fb.com/ufmgbr).

    Após a apresentação, os convidados responderão a perguntas enviadas pelos internautas.

    O UFMG Talks é um espaço aberto e democrático para discutir a ciência e as pesquisas realizadas na UFMG que contribuem para o desenvolvimento da sociedade, não apenas sob o ponto de vista econômico, mas, principalmente, da saúde, do bem-estar e da qualidade de vida. Uma vez por mês, pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais apresentam suas pesquisas em um diálogo acessível que aproxime o público das principais discussões científicas.

    CONHEÇA OS CONVIDADOS

    27.04.21 Renato Santana arquivo pessoalRenato Santana - Professor do Departamento de Genética, Ecologia e Evolução do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG. Coordenador da Rede de Vigilância Genômica de covid-19, a qual detectou uma nova variante do coronavírus em Belo Horizonte em abril de 2021. Graduado em Ciências Biológicas pela UFMG (1999), é mestre em Bioquímica e Imunologia pelo ICB UFMG (2002), doutor em Genética pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006) e Pós-doutro em Microbiologia e Imunologia pela Universidade da California, nos Estados Unidos. Consultor científico atua em projetos de pesquisa aplicada a HIV/AIDS em parceria com o Center of Disease Control (CDC, EUA) e UFRJ nos países africanos de língua portuguesa (Moçambique e Angola).

    Ana Paula Fernandes - Professora do Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas da Faculdade de Farmácia, pesquisadora do CT Vacinas e coordenadora da Rede Vírus do MCTI em Diagnóstico da covid-19. Possui graduação em Ciências Biológicas (1986), mestrado em Microbiologia (1990) e doutorado em Parasitologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1997), com estágio durante o mestrado e o doutorado na Harvard Medical School, nos Estados Unidos. Recebeu o prêmio “Mulheres Brasileiras que fazem a diferença”, concedido pela Embaixada e consulados dos Estados Unidos no Brasil. Uma de 27.04.21 Ana Paula Credito Foca Lisboasuas pesquisas culminou no desenvolvimento da vacina Leish-Tec, contra a leishmaniose visceral canina.

    SERVIÇO

    UFMG Talks em casa

    COVID-19: VACINAS E VARIANTES
    Data: 29 de abril às 19h (quinta-feira)
    Convidados: Ana Paula Fernandes e Renato Santana
    Transmissão online pelo canal da TV UFMG no YouTube (youtube.com/tvufmg) e pela página da UFMG no Facebook (fb.com/ufmgbr)

Pesquisar

Facebook Twitter YouTube Flickr SoundCloud

Topo