Menu

 

Rafael por Breno.Benevides Pesquisa associa inflamação metabolismo e fatores genéticos na obesidade infantilRafael Silva Lima - doutorando em Biologia Celular do ICB UFMG, avaliou relação entre processos inflamatórios, metabólicos e epigenéticos que ajudam a entender o excesso de peso entre crianças e adolescentes

O fenômeno da obesidade infantil ainda é pouco conhecido, especialmente em razão das rápidas mudanças de peso e altura das crianças durante o processo de crescimento. Pesquisa de mestrado do biomédico Rafael Silva Lima, do Programa de Biologia Celular do ICB UFMG, avaliou processos inflamatórios, metabólicos e epigenéticos que ajudam a entender o excesso de peso entre crianças e adolescentes.

O estudo está sendo apresentado no episódio 74 do programa Aqui tem ciência, da rádio UFMG Educativa, tem produção e apresentação da jornalista Alessandra Ribeiro, com trabalhos técnicos são de Breno Rodrigues.

O agora doutorando, do mesmo programa, analisou o sangue de 61 crianças, com idade entre sete e 12 anos (30 obesas e 31 não obesas, para comparação) e identificou a existência de um padrão na relação entre os mecanismos analisados: inflamação, dislipidemia e fatores epigenéticos. Ele também observou que há alteração na citocina IL-8, uma molécula envolvida na comunicação entre as células, especialmente do sistema imune, responsável por proteger nosso corpo contra infecções. A obesidade provoca alterações no sistema imune. Um grande avanço seria descobrir como evitar.

Rafael Lima conta que os processos inflamatórios no corpo humano são comumente associados a sintomas como dor, inchaço, vermelhidão e calor no local inflamado. Na obesidade, sua manifestação se dá, especialmente, no tecido adiposo, formado por células que acumulam gordura.

Quanto aos processos metabólicos, a obesidade pode levar à dislipidemia, que é a alteração no metabolismo dos lipídios, como o HDL e LDL, respectivamente, o colesterol bom e o ruim. Além disso, pode interferir no metabolismo da glicose e provocar, por exemplo, a resistência à insulina, desencadeando diabetes do tipo 2, caracterizado pelo excesso crônico de açúcar no sangue.

Os fatores epigenéticos (mecanismos moleculares envolvidos na interçaão entre fatores ambientais que afetam o comportamento de alguns genes sem alterar a informação contida no DNA).alteram o funcionamento dos genes, mais precisamente o modo como informações genéticas são lidas. Um desses mecanismos é a metilação de DNA, espécie de marcação na estrutura do DNA.

O programa Aqui tem ciência é uma pílula radiofônica sobre estudos da UFMG e abrange todas as áreas do conhecimento. A cada semana, a equipe da emissora apresenta os resultados de um trabalho de pesquisa. Disponível em aplicativos de podcast como o Spotify, ele vai ao ar na frequência 104,5 FM, rádio UFMG Educativa, às segundas, às 11h, com reprises às quartas, às 14h30, e às sextas, às 20h.

Saiba mais sobre a pesquisa no novo episódio do Aqui tem Ciência, da Rádio UFMG Educativa:

Raio-X da pesquisa
Dissertação: Avaliação e associação dos parâmetros metabólicos, inflamatórios e epigenéticos na obesidade infantil
O que é: Trabalho que caracterizou a obesidade infantil sob o ponto de vista metabólico, inflamatório e epigenético por meio da avaliação de parâmetros bioquímicos, entre eles o perfil lipídico e os níveis de enzimas hepáticas, os níveis das citocinas IL-8 e TGF-β e das adipocinas leptina e adiponectina e a metilação de DNA nos genes desses mediadores inflamatórios.
Pesquisador: Rafael Silva Lima
Programa de Pós-graduação: Biologia Celular
Orientadoras: Juliana de Assis Silva Gomes Estanislau e Paula Rocha Moreira
Ano da defesa: 2019
Financiamento: Capes, CNPq e Fapemig

 


 

 

 

 

 

 

(Com Assessoria de Imprensa da UFMG)

 

Pesquisar

Facebook Twitter YouTube Flickr SoundCloud

Topo