Menu

monitora.covid.ufmg. Foca Lisboa.UFMG

Antes de vir à UFMG, caso você tenha autorização para isso, é imprescindível se cadastrar e atualizar seus dados no sistema MonitoraCovid, "sempre que vier à UFMG"

 

MonitoraCovid.ufmg.br é um sistema online que a UFMG desenvolveu para acompanhar a saúde das pessoas da comunidade universitária que têm autorização das Diretorias das Unidades para continuar desenvolvendo atividades presenciais e semipresenciais. O monitoramente se baseia no compromisso de todos para que evitar situações de alto risco de transmissão.

FUNCIONA ASSIM - Professor, Técnico-administrativo, Funcionário terceirizado e Estudante - desde que devidamente autorizado - deve preencher o questionário de autoverificação de sintomas - ainda em casa -, antes mesmo de sair para a Universidade. O questionário é composto de cinco perguntas curtas, de múltipla escolha (respostas “sim” ou “não”) e demanda pouco tempo para o preenchimento, além de compromisso de quem preenche os dados.

COMO ACESSAR - O acesso ao MonitoraCovid pode ser feito pelo sistema MinhaUFMG ou no site Coronavírus, no Portal UFMG.

PARA QUÊ ISSO? - Voltado a identificar precocemente os casos suspeitos ou confirmados de covid-19, a iniciativa busca evitar a circulação das pessoas nos espaços da UFMG e rastrear seus contatos, em conformidade com as diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS).

SISTEMA PRÓPRIO

O sistema foi desenvolvido pela Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI), em parceria com Hospital das Clínicas, Faculdade de Farmácia e rede de laboratórios da UFMG de testagem da doença. A reitora Sandra Goulart observa que trata-se também de ferramenta importante no planejamento e acompanhamento das próximas etapas a serem adotadas pela UFMG em articulação com as autoridades sanitárias locais.

REPRODUÇÃOCLIQUE EM CIMA PARA AMPLIAR A IMAGEM E VOCÊ VER O LOCAL DO LINK NO MINHA.UFMG“A intenção é que o sistema funcione por meio da autodeclaração, com foco na autoverificação de sintomas. Por isso, ele depende, sobretudo, da responsabilidade da comunidade em fazer a sua parte no combate à pandemia”, explica a professora da Faculdade de Medicina Cristina Alvim, coordenadora do Comitê de Enfrentamento do Novo Coronavírus.

“A atualização contínua dos dados é que nos possibilitará gerar indicadores precisos sobre a pandemia na Universidade, de forma a criar medidas mais eficazes de combate ao vírus e aprimorar as já existentes”, afirma a professora. Esses dados poderão ser consultados diariamente no sistema.

 AS PERGUNTAS

1) Você realizou atividades presenciais em espaços da UFMG ou em campos de estágio nos últimos 14 dias?
2) No momento, apresenta febre ou sintomas de covid-19 ou de outra doença infecciosa?
3) Apresentou a doença ou sintomas sugestivos de covid-19 há menos de 14 dias?
4) Alguém de seu domicílio ou contato próximo teve síndrome gripal suspeita ou confirmada por covid-19 há menos de 14 dias?
5) Apresenta condição de vulnerabilidade: idade maior que 60 anos, portador de doença crônica, incluindo cardiopatias, doenças respiratórias, imunodeficiências primárias ou adquiridas e doenças autoimunes, hipertensão, diabetes, obesidade (Índice de Massa Corporal acima de 30), gravidez?

Caso responda “não” a todas as perguntas, a pessoa estará liberada para comparecer normalmente à atividade presencial naquele dia. Se responder "SIM" a uma ou mais dessas perguntas, o MonitoraCovid UFMG gera uma declaração a ser apresentada à chefia imediata ou ao setor responsável, no caso de estudante, e encaminha a pessoa ao Telecovid-19, sistema do Centro de Telessaúde do Hospital das Clínicas.

VÍDEO EXPLICATIVO

Ainda em casa, você pode preencher um questionário com as cinco perguntas acima. Neste vídeo a professora Cristina Alvim, da Faculdade de Medicina, explica detalhadamente.

 

 

(Com informações da Agência de Notícias da UFMG. Foto: Foca Lisboa/Cedecom UFMG)

 

Pesquisar

Facebook Twitter YouTube Flickr SoundCloud

Topo