Menu

Dona.RosaDona Rosinha na mesa com os amigos Elenice e Tuti. Foto: Kayla VeruzkaTodos os dias, durante diversos anos, a comunidade do ICB era acolhida pela “dona Rosa dos Doces”, dona Rosinha ou Rosalha Madalena de Souza. Esta noite a convivência física deixou de ser possível. Rosinha faleceu esta madrugada.

Pessoa especial, todos os dias ela ficava estrategicamente sentada numa mesinha próxima ao anfiteatro, a caminho do restaurante do ICB, cercada de doces e bombons.

Mas o local era muito mais do que um ponto de vendas. Era também um ponto de encontro, de servidores e estudantes, a caminho daqui ou dali, indo ou voltando, triste ou feliz, paravam apenas para trocar algumas palavras, ver o sorriso e suas palavras, doces.

Aparentemente foi a partir de 2018 que ela começou a ter problemas renais sérios. Fez hemodiálise. Sempre "de carinha boa". Mas, reclamava. No dia das sessões precisava sair logo depois do horário do almoço e não se sentia bem depois.

Um dia, contou ela, sua vez na fila do transplante chegou. Porém, o mesmo telefonema que a fez vibrar de alegria e esperança levou à inquietante constatação de que por causa de um remédio que tomara pouco tempo antes da ligação, com orientação médica, ela não estaria elegível para o procedimento cirúrgico.

Com muita fé e confiança, de volta à fila foram mais alguns meses até a nova oportunidade voltar a bater à sua porta. Desta vez, tudo correu bem, da cirurgia ao pós-operatório. A última vez que nos vimos ela estava totalmente recuperada.

Pouco depois veio a pandemia. Ainda não temos confirmação da causa da morte, mas sua filha Rosenilde deu a notícia inesperada hoje cedo, com as duas mensagens abaixo:

“Bom dia, amigos! Minha mãe partiu, foi para os braços do Pai. Minha mãe, minha vida, meu tesouro maior. Obrigada a todos vocês pelas orações. Minha mãe descansou. Estamos forte na fé que foi feita a vontade de Deus! Descanse em paz minha mãezinha querida!”.

Rosa.dos.docesCARTÃO ENVIADO PELA FILHA ROSENILDERapidamente uma grande quantidade de mensagens lamentava e ao mesmo tempo agradecia pela convivência harmoniosa e amiga.

NOTAS DE PESAR

“Ela lutou muito nos últimos meses. Descansou, mas é uma tristeza enorme. Que descanse em paz” - Gleide Fernandes Avelar

“Meus sentimentos, e que Deus conforte os corações dos familiares, eu posso disser, que era uma doce pessoa" - Elídio Rodrigues

"Só me resta pedir a um Poder Superior que a acolha em seus aposentos e lhe dê o descanso merecido, bem como aos familiares muita paz de espírito. Adeus, dona Rosa" - Daniel Santos Filho

"É um momento muito triste! Ela deixará saudades. Que Deus cuide e console a família!" - Cássio de Jesus Faria

"Querida Rosinha! Quanta saudades! Infelizmente essa maldita praga nos separou dos nossos amigos! Mas em minha memória você estará eternamente, ali naquele banco do ICB. Sei que Deus preparou um lugar especial para você. Não me esqueço também das vezes que descíamos campo abaixo (Eu sempre colaborava com as sacolas!). Era muito bom! Conversávamos e gargalhávamos muito. Mas, infelizmente você partiu antes que eu pudesse lhe dar um último abraço. Saudade eterna! E que Deus conforte nossos corações e os de todos os seus familiares!" - Paixão

"Que dona Rosinha descanse em paz!!! Aquele banco lá embaixo devia ter uma homenagem a ela. Talvez uma pintura no centro. Ela não vendia apenas balas, fazia sessões terapêuticas. Quantos TAE e docentes paravam naquela mesa para contar como foi seu dia e seus descontentamentos e também suas alegrias, viagens e passeios!! Vai deixar muita saudade" - Kayla Veruska

"Dona Rosa deixará saudades! Certamente toda comunidade do ICB recebia o carinho dela todos os dias ao passarmos na mesinha que durante tanto tempo ela esteve. Era ali, naquela mesinha, que além de adquirirmos um docinho recebíamos uma palavrinha carinhosa dela! Que seja recebida por muitos anjos na nova morada", Aparecida Campana

Pesquisar

Facebook Twitter YouTube Flickr SoundCloud

Topo