Menu

Programação desta quarta, 8, no YouTube e nas redes sociais, terá participação intensa na UFMG por meio de rodas de conversa, vídeos e histórias de pesquisadores

comunidade.quolombolaComunidade de Pontinha é atendida por projeto de extensão da UFMG: vozes não acadêmicas - Facebook / PontinhaEm tempos como os atuais, aparece com ainda mais força a necessidade de pensar uma ciência que considera os contextos em que os problemas são gerados. Por isso, o diálogo com as comunidades e com saberes diversos é uma das inspirações para a comemoração, no estado, do Dia da Ciência e do Dia das Pesquisadoras e Pesquisadores, comemorados nesta quarta-feira, 8 de julho, online.

A programação completa está numa página de conversão (www.cienciasdeminasgerais.com.br) publicada na internet para permitir que o visitante escolha a atividade que desejar assistir, sendo dali direcionado ao local do evento que escolher, sem sair de casa. Tudo dedicadamente trabalhado para ser autoexplicativo.

Diversas instituições de ensino e pesquisa se uniram a movimentos sociais e políticos do estado para promover uma enorme e eclética gama de atividades, muitas delas ao vivo, outras gravadas.

Logo na abertura, às 8h45, um encontro rápido vai reunir o educador Luciano Mendes, secretário regional da SBPC MG, e o físico Ildeu Moreira, da SBPC nacional.

Das 9h às 10h o encontro traz "Casos sobre ciências e cientistas". Até as 9h30 se apresentam as professoras Rita de Cássia Marques (Enfermagem UFMG) e Dilene Nascimento (Fiocruz Rio), na sequência, até as 10h, quem vai tratar sobre as epidemias ao longo na história, são Anny Torres (UFOP) e Ana Caetano de Faria (ICB UFMG). O debate será mediado pela professora Débora D´Ávila (ICB UFMG), que idealizou essa tema.

Na programação ainda estão desde "causos" contados por cientistas, oficina de fotoastronomia e vídeos, abordando temas como relação entre humano e natureza, a história das pandemias e vacinas, saberes de comunidades tradicionais e a interação com os espaços de ciência e cultura. As lives serão transmitidas pelo canal YouTube da Regional Minas da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), assim como de outras entidades parceiras, mas os links estão no site. O Instituto de Ciências Biológicas da UFMG participou da Comissão Organizadora do evento, ao lado de outras unidades e projetos da UFMG.

De 12h às 12h40 haverá um sessão de Tuitaço, usando as hashtags: #BrasilpelaDemocracia, #BrasilpelaVida, #MaisCiênciaMenosDesiguladade

Segundo a reitora Sandra Regina Goulart Almeida a programação do dia 8 é uma excelente oportunidade para celebrar a ciência e a relevância das instituições públicas de ensino superior e de pesquisa, responsáveis por mais de 95% da pesquisa no país, sobretudo quando a sociedade brasileira enfrenta uma crise tão grave. “Mais uma vez, a UFMG está entre os protagonistas de uma iniciativa que mostra a força da comunidade científica, das instituições públicas de ensino e sua capacidade de contribuir com a sociedade nos variados campos do conhecimento”, diz Sandra.

Ainda de acordo com a reitora, as pessoas vão conhecer, nas diversas atividades on-line, “um pouco do importante trabalho das pesquisadoras e dos pesquisadores das instituições mineiras, da interação da UFMG com a comunidade, por meio, sobretudo, dos projetos de extensão, e da forma como se têm valorizado, cada vez mais, conhecimentos não acadêmicos”.

MOBILIZAÇÃO POR RECURSOS

Oito de julho é o dia de aniversário da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que foi fundada em 1948. O Dia Nacional da Ciência foi instituído em 2001, e o Dia do Pesquisador e da Pesquisadora, em 2007. A SBPC organizou a programação nacional, que neste ano é toda virtual, e as secretarias regionais da entidade estão responsáveis pelas atividades nos estados.

Uma das iniciativas no âmbito nacional é uma mobilização de parlamentares pelo descontingenciamento de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Segundo o presidente da SBPC, professor Ildeu Moreira, estão disponíveis apenas R$ 600 milhões de R$ 5,2 bilhões originalmente destinados para o setor. "Há quatro anos, enfrentamos reduções drásticas nas verbas para a pesquisa e as universidades, e, nesta situação de pandemia, a necessidade dos recursos é imensa", argumenta Moreira.

De acordo com o secretário regional da SBPC em Minas Gerais, Luciano Mendes, as atividades desta quarta-feira “ganham ainda mais relevância no contexto atual, em que vários governos, a começar pelo governo da República, teimam em desvalorizar os conhecimentos científicos, fundamentais para o enfrentamento da covid-19 e a construção de melhores condições de bem-estar para a população”.

OUTROS TERRITÓRIOS

A ampliação do escopo do evento em Minas Gerais, neste ano, é destacada pela pró-reitora de Extensão da UFMG, Claudia Mayorga. “Vamos ouvir vozes de outros territórios, como as periferias, mestres de saberes tradicionais, todos eles celebrando a ciência desde as suas perspectivas.”

Ela acrescenta que as comunidades que trabalham com a Universidade vão estar presentes na forma de vídeos produzidos por 23 projetos de extensão. “E vamos conversar também com estudantes e professores da educação básica e sobre os espaços e as ações de arte e cultura”, diz Claudia.

A celebração da ciência e dos cientistas é também uma forma de defender as instituições públicas de ensino e pesquisa, o ensino de qualidade em todos os níveis e o Sistema Único de Saúde (SUS), na visão da diretora de Divulgação Científica da UFMG, Débora D’Ávila. Ela ressalta a abordagem da “ciência como cultura, uma ciência que busca heterogeneidades”. “A contribuição do conhecimento científico gera soluções não apenas no plano universal, mas também no encontro com as especificidades. Valorizamos a ciência que escuta as demandas das comunidades”, diz Débora.

Para a professora do Instituto de Ciências Biológicas, oferecer espaço para cientistas contarem seus casos de pesquisa significa abrir a possibilidade de narrativas mais ricas, que revelem o contexto histórico, incertezas e fracassos e atores muitas vezes esquecidos no processo. “Mais que tratar a ciência como relação de causa e efeito, estimulamos as memórias que podem nos afetar e nos ajudar a refletir sobre o presente e o futuro”, afirma a titular da DDC, ressaltando a participação, na organização do evento, da equipe da Proex, dos centros de Extensão e de representantes de outras unidades.

O esforço das universidades na interação com a comunidade por meio da cultura será tema de mesa com a participação de gestores das federais de Uberlândia, São João del-Rei e Juiz de Fora, além da UFMG, que será representada pelo diretor de Ação Cultural, Fernando Mencarelli. “Vamos abordar as políticas de cultura. Os centros culturais e museus são espaços privilegiados de produção e difusão de conhecimento”, afirma.

Um vídeo do projeto Cariúnas, em colaboração com a professora da Escola de Música Jussara Fernandino, abrirá a transmissão ao vivo. Conheça a programação do Dia da Ciência e Dia Nacional das Pesquisadoras e Pesquisadores, composta de lives no YouTube e publicações no Facebook, Instagram e Twitter.

 

MAIS INFORMAÇÕES: www.cienciasdeminasgerais.com.br

 

(Texto adaptado de Itamar Rigueira Jr - Cedecom UFMG)

 

Pesquisar

Facebook Twitter YouTube Flickr SoundCloud

Topo