Menu

MG2 ICB

A medida do Governo Federal assusta alunos, funcionários e professores da UFMG. Só no Instituto de Ciência Biológicas (ICB) funcionam cerca de 400 laboratórios de pesquisas biológicas e biomédicas. O risco é perder anos de estudos e de investimentos porque a previsão dos cortes deve começar nos serviços básicos. A professora de nutrição clínica Tatiane Maioli destaca que com o corte da conta de luz, não consegue manter os insumos no freezer.

O ICB tem o maior número de patentes de medicamentos no país e graças a institutos como ele, o Brasil ocupa o 13º lugar no ranking mundial em pesquisas científicas. A professora do departamento de bioquímica e imunologia do ICB Ana Maria Caetano destaca que com o corte de verbas quem perde é toda a população do Brasil. Pois o local é um centro importante para pesquisas que produzem vacinas e medicamentos.

No departamento de zoologia, a preocupação é com a perda de anos de pesquisas e da proteção das diferentes espécies tão valiosas quanto as que foram queimadas no incêndio do Museu Nacional, no Rio de Janeiro.

Leia o restante da matéria em: Corte de verba do governo Bolsonaro coloca em risco funcionamento da UFMG

(Mídia é uma tentativa da ACbio de reunir notícias sobre o ICB)

Facebook Twitter YouTube Flickr SoundCloud

Newsletter

Pesquisar

Topo