Principais tumores de mama humana

Maligno

     Carcinoma: O câncer de mama causa cerca de 20% dos óbitos por câncer nas mulheres e é chamado de o “principal câncer” nas mulheres. A sua incidência aumentou progressivamente ao longo dos últimos 80 anos e, atualmente, nos Estados Unidos, 1 entre 9 mulheres irá apresentar esse câncer ao longo de sua vida. Por isso, pode-se entender por que o câncer de mama recebeu grande publicidade e se tornou o centro de muitos estudos acerca de sua origem, métodos diagnósticos e tratamento. Apesar de ter-se conseguido muito, particularmente no que diz respeito ao diagnóstico precoce, o índice de mortalidade corrigido pela idade do câncer de mama em mulheres nos Estados Unidos, permaneceu praticamente estável durante os últimos 30 anos, sendo, agora, próximo de 27 por 100.000. Anualmente, 43.000 mulheres morrem por causa dessa doença. É irônico e ao mesmo tempo trágico que um tumor de ocorrência em um órgão exposto, facilmente acessível ao auto-exame e ao diagnóstico clínico, continue causando tamanha mortalidade.
     Sua ocorrência é cinco vezes mais comum nos Estados Unidos do que no Japão e em Formosa (Taiwan). A magnitude do risco é proporcional ao número de parentes próximos com câncer de mama e a idade em que o câncer ocorreu nos parentes.
    Quanto mais jovem os parentes no momento do surgimento do câncer e quanto maior a incidência de cânceres bilaterais, maior a predisposição genética.
   O risco de incidência é influenciado pelos seguintes fatores:
    . Aumento da idade:
raro antes dos 25 anos
aumento progressivo até a menopausa (pico)
aumento mais lento pelo resto da vida
     . Duração da vida reprodutora: o risco aumenta com a menarca precoce e a menopausa tardia.
     . Parição: mais freqüente em mulheres nulíparas do que em multíparas.
     . Idade ao ter o primeiro filho: o risco é maior quando a mulher tem mais de 30 anos ao ter o primeiro filho.
     . Obesidade: o risco aumentado é atribuído à síntese de estrogênios nos depósitos de gordura.
     . Estrogênios exógenos: risco moderadamente aumentado com a terapia com altas doses para os sintomas da menopausa.
     . Anticoncepcionais orais: não existe um aumento evidente no risco; isto é atribuído ao conteúdo equilibrado de estrogênios e progestinas nos anticoncepcionis orais atualmente utilizados.
     . Alterações fibrocíticas com hiperplasia epitelial atípica: risco aumentado.
     . Carcinoma de mama contralateral ou do endométrio: risco aumentado.
 Três conjuntos de influência podem ter importância no câncer de mama:
     . fatores genéticos.
     . desequilíbrios hormonais.
     . Fatores ambientais.
     Nos animais, os vírus podem nitidamente interagir com estas influências para causar o câncer, porém esta etiologia viral ainda não foi comprovada nos seres humanos. Em camundongos podem ser conseguidas cepas com elevadas incidências de câncer através da endogamia genética.
     O carcinoma é mais comum na mama esquerda do que na mama direita em uma proporção de 110/100. Os cânceres são bilaterais ou seqüenciais na mesma mama em 4% ou mais dos casos. Entre os carcinomas de mama muito pequenos para se conseguir identificar a área de origem, aproximadamente 50% surgem no quadrante superior externo; 10% em cada um dos quadrantes restantes e cerca de 20% na região central ou subareolar.
     Carcinoma ductal invasivo: conforme mencionado, este é o tipo mais comum, responsável por 65 a 80% de todos os cânceres mamários. A maioria exibe um aumento acentuado no estroma tissular fibroso e denso, dando ao tumor uma consistência endurecida (carcinoma cirroso). Estes crescimentos ocorrem como nódulos bem delimitados e de consistência pétrea, com diâmetro médio de 1 a 2 cm, raramente excedendo 4 a 5 cm. À palpação, eles podem revelar uma aderência infiltrante às estruturas adjacentes, com fixação na parede torácica subjacente, enrugamento da pele e retração do mamilo.
     Histologicamente, o tumor consiste em células de revestimento ductal malignas dispostas em cordões, ninhos celulares sólidos, túbulos, glândulas, massas anastomosantes e uma mistura delas características. Em muitos casos, também podem ser visualizados componentes intraductais evidentes. As células invadem nitidamente o estroma de tecido conjuntivo. Com freqüência, encontra-se invasão dos espaços perivascular e perineural bem como dos vasos sangüíneos e linfáticos .