Aspectos evolutivos da glândula mamária
 

Introdução

   Os mamíferos modernos podem ser divididos em três subclasses: Prototheria, Metatheria e Eutheria, separadas com base na sua biologia reprodutiva. Supõem-se que existam atualmente cerca de 4100 espécies de mamíferos. Os Prototheria (monotremos) põem ovos, que são incubados e eclodem fora do sistema genital das fêmeas; o investimento reprodutivo encontra-se no vitelo do ovo. Os Metatheria (marsupiais) caracterizam-se por curto período de gestação, pelo pouco desenvolvimento embrionário, e, em muitos por possuirem o marsúpio e têm na lactação o principal investimento reprodutivo. Os Eutheria (placentários), nascem num estado de desenvolvimento mais avançado que os marsupiais e têm na placenta o principal investimento. Embora diferentes no processo reprodutivo, a característica essencial que  distingue os mamíferos dos demais vertebrados refere-se a presença de glândulas mamárias (que nas fêmeas são desenvolvidas), as quais, através da produção de leite, nutrem os recém-nascidos. A secreção  de leite, por sua vez, possui importante papel que transcende a  função puramente nutritiva. Durante a lactação e amamentação ocorre grande interação comportamental entre a mãe e  filho que parece ter grande significado para o futuro desenvolvimento social do recém-nascido. Além disso, em muitas espécies, o leite secretado no período imediatamente após o parto (colostro), contém anticorpos que conferem imunidade aos recém-nascidos contra infecções.
Monotremos
Marsupiais
Eutérios
Teoria sobre a evolução da glândula mamária