ABORTO PROVOCADO

 

 

Qual a diferença entre aborto espontâneo e aborto provocado?

  • Aborto espontâneo: aborto devido a uma ocorrência acidental ou natural. A maioria dos abortamentos espontâneos são causados por uma incorreta replicação dos cromossomos e por fatores ambientais. Também pode ser denominado aborto involuntário ou casual.
  • Aborto provocado: aborto causado por uma ação humana deliberada. Também é denominado aborto induzido, voluntário ou procurado, ou ainda, interrupção voluntária da gravidez. Este tipo de aborto ocorre pela ingestão de medicamentos ou por métodos mecânicos. A ética deste tipo de abortamento é fortemente contestada em muitos países do mundo. Os dois pólos desta discussão passam por definir quando o feto ou embrião se torna humano ou vivo (se na concepção, no nascimento ou em um ponto intermediário) e na primazia do direito da mulher grávida sobre o direito do feto ou embrião.

 

http://www.abortionno.org/Resources/AbortionPictures/11_weeks-04.jpg

 

 

 

Como é a legislação brasileira em relação ao aborto e quais as conseqüências relacionadas?

 

No Brasil, o aborto provocado é uma prática ilegal, exceto quando há risco de vida para a mãe ou quando a gravidez resulta de um estupro. Dessa forma, no nosso país, o  procedimento, quando não ocasionado dentro dos critério citados anteriormente, é realizado clandestinamente, sem qualquer controle de higiene e, não raras vezes, por pessoal pouco qualificado.

 

Curiosidade:  A 13ª Conferência Nacional da Saúde ocorrida em Brasília, rejeitou, em 18 de novembro de 2007, proposta de legalização do aborto. Cerca de 70% dos aproximadamente 5 mil delegados estaduais votaram contra a descriminalização do aborto. Com este resultado, o assunto ficou fora do relatório final da conferência e não será encaminhado ao governo como sugestão para as políticas públicas de saúde. Esta foi a segunda vez que a proposta de descriminalização do aborto, apoiada abertamente pelo governo federal foi derrubada. Na 12ª Conferência Nacional da Saúde, realizada em 2003, a idéia foi também rejeitada.

 

 

 

As condições em que são realizadas o aborto influenciam no risco de complicações dele resultantes?

 

As pesquisas médicas mostram que, quando realizado em boas condições, o risco de complicações do aborto torna-se muito pequeno. O procedimento em si é bastante seguro quando realizado em local higiênico e por profissionais qualificados. Do contrário, se realizado na clandestinidade, como ocorre no Brasil, chega a representar um grande perigo.

 

 

 

 

 

 

 

http://www.sintravox.com/files.php?file=aborto.jpg

 

 

Que métodos são utilizados para induzir o aborto?

 

*Alguns métodos utilizados são:

 

Sucção ou aspiração

O aborto por sucção pode ser feito até a 12ª semana após o último período menstrual (amenorréia). Este aborto pode ser feito com anestesia local ou geral. Com a local a paciente toma uma injeção intramuscular de algum analgésico. Já na mesa de operação faz um exame para determinar o tamanho e a posição do útero. Se for anestesia geral, toma-se uma hora antes da operação uma injeção intramuscular de Thionembutal. Inicia, então, uma infusão intravenosa. O Thionembutal adormece o paciente e um anestésico geral por inalação como o Óxido Nitroso é administrado através de uma máscara. A partir daí o procedimento é o mesmo para anestesia geral e local.

Insere-se no útero um tubo oco que tem uma ponta afiada. Uma forte sucção (28 vezes mais forte que a de um aspirador doméstico) despedaça o corpo do bebê que está se desenvolvendo, assim como a placenta e absorve "o produto da gravidez" (ou seja, o bebê), depositando-o depois em um balde. O abortista introduz uma pinça para extrair o crânio, que costuma não sair pelo tubo de sucção. Algumas vezes, as partes mais pequenas do corpo do bebê podem ser identificadas. Quase 95% dos abortos nos países desenvolvidos são realizados desta forma.


Dilatação e Curetagem

No método de dilatação e curetagem é feita a dilatação do colo do útero e com uma cureta (instrumento de aço semelhante a uma colher) é feita a raspagem suave do revestimento uterino do embrião, da placenta e das membranas que envolvem o embrião. A curetagem pode ser realizada durante o segundo e terceiro trimestre da gestação quando o bebê é muito grande  para ser extraído por sucção. Este tipo de aborto é muito perigoso, porque pode ocorrer perfuramento da parede uterina, tendo sangramento abundante. Outro fator importante é que muito tecido pode ser retirado, ocasionando  esterilidade.


Drogas e Plantas

Existem muitas substâncias que quando tomadas causam o aborto. Algumas são tóxicos inorgânicos, como arsênio, antimônio, chumbo, cobre, ferro, fósforo e vários ácidos e sais. As plantas são: absinto (losna, abuteia, alecrim, algodaro, arruba, cipómil - homens, esperradura e várias ervas amargas). Todas estas substâncias devem ser tomadas em grande quantidade para que ocorra o aborto, colocando inclusive a vida da mãe em risco.


Injeção de soluções salinas

É feito do 16ª à 24ª semana de gestação. O médico aplica anestesia local num ponto situado entre o umbigo e a vulva, anestesiando a parede do abdome, do útero e do âmnio. Com uma longa seringa, injeta-se na bolsa d'água uma solução salina. O bebê ingere esta solução que lhe causará a morte por envenenamento, desidratação, hemorragia do cérebro e de outros órgãos. Após um prazo de 24 à 48 horas, por efeito de contrações, o feto é expulso pela vagina, como num parto normal. O risco apresentado por este tipo de aborto é a aplicação errada da anestesia e a injeção da solução fora do âmnio, causando a morte instantânea.

http://malvicioso.com/wp-content/uploads/2007/02/aborto.jpg

 

http://casadogalo.com/wp-content/uploads/aborto_tn.jpg

 

 

Que perigos e complicações podem resultar do aborto provocado?

As complicações do aborto provocado incluem:  

-perfuração do útero;

-retenção de restos de placenta, seguida de infecção, peritonite, tétano, e septicemia;

-laceração do colo uterino provocada pelo uso de dilatadores;

-perigo de lesão no intestino, na bexiga ou nas trompas;

-hemorragias uterinas;

-esterilidade;

- inflamação das trompas;

- morte materna ( Segundo o relatório, intitulado Morte e Negação: Abortamento Inseguro e Pobreza, das 500 mil mortes maternas que ocorrem a cada ano, 13%, ou 70 mil, podem ser atribuídas a complicações provocadas por um aborto realizado de forma insegura);

-subseqüentes gestações afetadas, aumentando o risco de prematuridade, gravidez ectópica, abortamento espontâneo, e baixo peso ao nascer.

 É importante ressaltar que o risco e a gravidade das complicações crescem com o avanço da gestação.

 

 

http://iuhs-isa.org/blog/aborto.JPG

 

 

 

http://www.webciencia.com/01_aborto.htm

 

 

 

 

 

 

Fontes bibliográficas

 

http://www.estadao.com.br/ultimas/nacional/noticias/2007/mai/30/223.htm?RSS

http://www.scielo.br/pdf/csp/v8n4/v8n4a10.pdf

http://pt.wikipedia.org/wiki/Aborto_no_Brasil

http://pt.wikipedia.org/wiki/Aborto

http://www.lustosa.net/noticias/104446.php